MIro

"Conheci o autor deste livro nas raras e intensas noites em que perambulava pela Lapa. Miro era um farol irradiando vida e indicando portos a intelectuais ociosos e fracos de ânimo como eu. Suas narrativas me seduziram desde o primeiro momento em que o ouvi falar. Havia arte ali, uma arte bruta e genuína, forjada a ferro e fogo pela penúria e pelas drogas. Miro não possuía qualquer singularidade – nada do charme do dândi, da revolta do anarquista, nem da fúria ou do estilo selvagem de algum expoente da contracultura. Exceto quando abria a boca e do seu bafo embriagado subtraíamos fábulas, esse fervoroso escriba não nos despertava a atenção, podendo ser confundido com um tipo vagabundo qualquer. Sentir-se atraído por malandros e espertalhões talvez seja mania de espíritos velhos e decadentes como eu. Pessoas como Miro, porém, se expressam com tamanha força e sabedoria que, às vezes, temos a impressão que Prometeu ofereceu a elas uma porção a mais do fogo divino."

 


Livreto com excertos de "Miro", romance de Ricardo Rodrigues com previsão de lançamento em 2019. 15x11 cm, miolo p/b, 16 p. Gosto Duvidoso, São Paulo.

R$ 20,00

Comprar